Formação de Terapeutas

Na Formação de Terapeutas, o aluno é capacitado a realizar um amplo conjunto de técnicas e procedimentos individuais e em grupo de proposições de cura, recebendo o direito de exercer o Método Aletheia profissionalmente.

Aletheia é um processo terapêutico que tem como base a prática espiritual no aprofundamento da relação com a natureza humana. Desenvolvemos a consciência num mergulho nas nossas qualidades, conhecendo as próprias necessidades individuais que precisam ser alimentadas e desenvolvendo as capacidades no engajamento honesto e responsável com as relações.

Através do compromisso com o nosso corpo, nossa sensibilidade, nossas relações e o tempo atual, fortalecemos nossa presença e pertencimento ao mundo. Acordamos a nossa alma! Muitas vezes entorpecida por nossa relação violenta com a intimidade e esquecida em nossa constante ocupação com a mente e no autoenvolvimento da identidade.

A integração de nossos conteúdos internos nos leva ao crescimento e ao conhecimento de nossa própria natureza em sua expressão íntima e também coletiva. Trabalhamos no desenvolvimento de uma ética de reciprocidade que respeita a individualidade, fortalecendo nosso poder de escolha e integrando a nossa própria história, pois este caminho que a vida fez até este momento é muito importante no sentido de dar peso à nossa presença. Todos nós temos o desafio de reconhecer o sagrado na beleza de como nos disponibilizamos.

Desenvolvemos uma inteligência sensível através de movimentos do corpo que integram os conteúdos psíquicos. O método tem seu fundamento na Fenomenologia. São processos de campo que criam encontros curativos. Toda pessoa que pratica estabelece uma profunda relativização de sua identidade, da forma como se relaciona consigo mesma, com a sua própria história e com o mundo. Essa relativização é uma grande porta de transformação. O Método Aletheia não trabalha na exacerbação do controle, mas sim no desenvolvimento da entrega à própria sensibilidade.

Nosso compromisso é a cura e o desenvolvimento através do aprimoramento do cuidado. O cuidado é uma capacidade central da condição humana. Cuidado de um consigo mesmo e de um com o outro. Temos dentro de nós a sabedoria capaz de diariamente nos organizar de forma equilibrada. Nossa prática desperta a alma que, através da sensibilidade, dá indícios palpáveis de sua presença e qualidade em nós. Todas as nossas emoções são bem-vindas quando as assumimos enquanto faces de nossa própria alma no compromisso do cuidado.

O Método Aletheia desenvolve curadores, acorda essa capacidade de todo ser humano. Ser curador significa estar engajado e comprometido na expressão honesta de si e responsável frente à vida.

Aletheia é um caminho de integração, uma prática espiritual, uma forma de viver conciliada com a natureza.

Esta Formação capacita o aluno nos procedimentos curativos e de desenvolvimento do método, familiarizando-o com o conteúdo teórico-metodológico relacionado com a estruturação da psique e possibilitando o caminho de se tornar um curador, desenvolvendo nele a capacidade de relacionar os conhecimentos aprendidos no curso com aspectos da sua própria história e natureza humana.

PÚBLICO ALVO: terapeutas, psicólogos, estudiosos da psique e professores.

 


Datas: entre em contato conosco e receba o cronograma completo das atividades.

Local: Botafogo –RJ.

Inscrições e informações: (21) 99803-9696 /  contato@circuloaletheia.com

Acompanhe nossas redes sociais:

     

O Método Aletheia

Roda de Leitura e Estudos com Mauro Bühler

Em datas agendadas, confira em nossa agenda!

Uma noite para leitura e aprofundamento de temas do livro Sementes Lúdicas para uma Vida Simbólica – Mauro Bühler.

Neste pequeno livro se encontram reunidas notas biográficas, dobras de consciência na forma de reflexões e reverências sobre o caminho de aprendizado de Mauro Bühler, terapeuta e professor, criador do Método Aletheia.

“Por meio de uma série de experiências, fui me dando conta de como a capacidade de perguntar pela realidade dos encontros nos vincula subjetivamente, se configurando em um exercício hermenêutico, próprio da constituição de nosso senso de habitação individual e relacional. Desenvolver o interesse pela presença torna íntimo o Ego de sua alma, e desperta a vitalidade para investimentos afetivos de grande envergadura e propósito.

Percebi que podemos viver de forma esquecida, com pouco investimento afetivo na presença, na medida em que adotamos modelos pragmáticos, que supostamente nos asseguram, porém ao preço de comprometer nosso processo de diferenciação e amadurecimento emocional.
Nascemos encarregados de um exercício, que chamo de exercício humano. Ele é a repercussão natural da organização que dá forma ao nosso corpo e estimula nosso psiquismo. Nos diferenciamos por meio de nossos encontros, eles são a própria via de nossa criação.

Tive a oportunidade de me desenvolver no Xamanismo, onde fui reapresentado à condição de inocência da relação de intimidade com a natureza e reverência à condição humana. Meus professores me instigaram a me engajar no processo diário de dar nascimento à consciência, assimilando amorosamente as minhas dificuldades como reais desafios.”

Mauro Bühler – Trecho do livro “Sementes lúdicas para uma vida simbólica”.

Data: Em datas agendadas, confira em nossa agenda.
Horário: 20h às 22h.
Local: Botafogo – RJ (próximo ao metrô).
Valor: 30 reais.

Para adquirir o livro: http://circuloaletheia.com/livros/

Inscrições: (21) 99803-9696 / contato@circuloaletheia.com
Vagas Limitadas!

Existe dentro de nós um lugar silencioso, capaz de acolher a tudo o que somos.

Existe dentro de nós um lugar silencioso, capaz de acolher a tudo o que somos.

A realização deste lugar silencioso é o trabalho de integração que reconhecemos como espírito. O caminho para o espírito começa através da recuperação daquilo que negamos em nós e por isso muitas vezes nos parece difícil ou desafiante.

Brincamos de Deus e não o reverenciamos quando não reconhecemos a profunda beleza de todos os aspectos de nossa humanidade. Tudo o que nos compõe colabora para a vida. A sabedoria está em permitir que os componentes de nossa humanidade, de seu fundamento instintivo animal, a nossa capacidade simbólica, se expressem a serviço da vida.

Toda pessoa que aceita sua natureza serve à humanidade. Assim renasce uma pessoa movida pelo espírito.

O caminho do pólen – Uma forma bela de se viver…

Somos, como todas as coisas, parte da natureza e também estamos ao seu serviço. Podemos elevá-la a uma dimensão simbólica, metafórica, própria do espírito humano, criando e vivendo eticamente. Ou denegri-la, empobrecendo-a de sua abundância. As forças da natureza despertam e se interessam pelo homem que vive belamente, querem participar de sua vida.

Somos responsáveis pela vida por um tempo, depois a devolvemos. Quem nos tornamos neste tempo?

O caminho do pólen é um chamado para o reconhecimento do espírito em todas as coisas, numa forma bela de se viver.

A contemplação surge a partir do amadurecimento do medo, num despertar da consciência conciliada com o tempo presente, com os afetos e com a própria alma.

Não se pode mover uma palha sem perturbar uma estrela.

Não se pode mover uma palha sem perturbar uma estrela.

Esta é uma antiga perspectiva da realidade. Tudo está em contato e disponível a uma relação de intimidade para uma consciência desperta.

Essa é a mente intuitiva, orgânica, presente no silêncio de nosso corpo. Você a percebe quando se desocupa da constante luta que estranhamente consome e regula a maior parte de nossas relações.

O eu profundo tem uma natureza amorosa. Essencialmente, o amor é uma força que reúne.

A consciência compõe, a todo instante, permissões e lugares legítimos para este desejo natural de contato e união. Exemplos: eu, mãe, pai, vida, mundo, espírito, universo, Deus…..

Quando duas pessoas se disponibilizam em suas fragilidades…

Quando duas pessoas se disponibilizam em suas fragilidades, surge a grande oportunidade do crescimento da intimidade e do amor na relação. As fragilidades são as sementes da confiança.

A confiança não pode em realidade preexistir, ela se desenvolve na reciprocidade da relação. A honestidade é o grande guia para o amadurecimento do medo nas relações.

Quando uma pessoa demonstra sua fragilidade numa relação e a outra se aproveita para empoderar uma forma de controle e domínio sobre ela, a intimidade se recolhe da relação. É comum a estratégia de construir estados arrogantes de força, julgamento e imposição para camuflar os próprios medos e fragilidades.

Para mim, a fragilidade tem a força de toda semente, pode germinar, crescer em árvore e frutificar. A arrogância tem o poder do machado que consome florestas, representa a incapacidade de cultivar, participar do crescimento. O frágil e o fraco se distinguem no investimento de vida que representa o amor com honestidade. Um cresce e o outro se disfarça.

Destruir ou denegrir é tão mais fácil que construir…

O forte papel que a euforia, as distrações e seus parceiros químicos…

O forte papel que a euforia, as distrações e seus parceiros químicos cumprem no sentido de nos auxiliar a suportar a realidade emocional revela a grande fragilidade de nosso modelo de consciência.

A individualidade, tão celebrada pela sociedade contemporânea, declara um sentido de liberdade, porém muitas vezes, pouco nos importamos com o que isto realmente significa.