Nos encontramos intimamente engajados na organização de nosso entorno. Esta é uma repercussão natural do acontecimento da vida, que nos reúne por meio de uma grande rede psíquica. Esta organização pode se tornar uma realidade consciente, pelo esforço do aprimoramento da atenção e do cuidado na consideração a si e no respeito ao outro, ou permanecer como parte de uma relação inconsciente, que nos mobiliza naquilo que nos diz respeito em nossa passividade, e por conta disto, sem mérito.
Nossa individualidade tão valorizada e defendida sucumbe em termos de saúde e sanidade quando é incapaz de portar uma realidade de valores vividos. A inflação do eu leva ao delírio do desejo e das escolhas inconsequentes.

Na medida em que a passividade predomina, nos refugiamos em uma subjetividade de imagens e pensamentos que pouco nos renovam.

Assim, regredimos para a expressão de contornos emocionais mais imediatos, pouco ousados, mais vinculados a um senso de sobrevivência afetiva. Fundamentalmente, mais medrosos e infantis. Entramos sem perceber no ritmo acelerado da ambição eufórica que nos vampiriza. Esta cultura de consciência da liberdade enquanto capacidade de trocar, de sair e de descartar a qualquer momento.

Nos encontramos ocupados em nosso esquecimento com distrações que anestesiam a percepção do tempo que passa, instituindo um conforto afetivamente inerte.

E, enquanto tudo está bem, o corpo é matéria a ser modelada pela personalidade sedutora, o outro é um objeto de desejo que pode ser descartado sem grandes consequências, pois na estética jovem há uma eterna abundância. Afinal, somos hiperbóreos. A morte está distante, é uma forma de pessimismo para a pessoa saudável. Dificuldade é chatice, excelência é coisa de velho. A dor sempre pode ser remediada e a condição humana, por sua vez, é só uma ideia mirabolante demais para ser assimilada, reconhecida e tornada um exercício consciente.

Círculo Aletheia

Aletheia é uma prática espiritual, não fundamentada em nenhum dogma religioso, que tem como foco o desenvolvimento de uma inteligência sensível, uma capacidade que nos alinha às necessidades de nosso corpo e alma e que nos auxilia a realizar escolhas mais autênticas e representativas da nossa interioridade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *